Reduzir o desperdício. Reduzir as emissões. Combater as mudanças climáticas.

 

O No Waste Challenge é uma competição global iniciada pela What Design Can Do (WDCD) em parceria com a Ikea Foundation. Convidamos estudantes, designers e empreendedores criativos — de pequenos entusiastas a grandes sonhadores — a apresentar soluções inovadoras para reduzir o desperdício e repensar todo o nosso ciclo de produção e consumo. As inscrições podem ser realizadas até 1º de abril de 2021.

 

POR QUE O DESPERDÍCIO?

A resposta é direta e devastadora: nosso planeta está se afundando em lixo. A cada ano, descartamos inacreditáveis 2,12 bilhões de toneladas dele mundialmente. Em parte, isso acontece porque criamos uma economia em que 99% das coisas que compramos são jogadas fora dentro de seis meses. Se todo esse lixo fosse colocado em caminhões, essa fila de veículos daria a volta na Terra 24 vezes.
O problema é sistêmico, e tem um impacto desastroso em todos os outros problemas sociais e ambientais. Da perda de biodiversidade à aceleração do aquecimento global, a maneira destrutiva como atualmente extraímos, produzimos e consumimos recursos está nos conduzindo a uma crise climática. Se conseguirmos lidar com as causas subjacentes e os sintomas do desperdício, temos uma chance real de construir um futuro que funcione tanto para as pessoas quanto para o planeta. Que tal se juntar a nós?

 

POR QUE AGORA?

A cada ano, já estamos consumindo 75% mais recursos do que a Terra pode sustentar a longo prazo. E a previsão é de que isso aumente em impressionantes 70% até 2050, a não ser que façamos mudanças significativas — e rápido.

Acreditamos que o design tem o poder de promover a conscientização e de mudar como as coisas são feitas e do que elas são feitas. O design também tem um papel a desempenhar na mudança de narrativas e facilitação de visões alternativas do futuro. A crise do COVID-19 nos trouxe uma oportunidade inédita de fazer isso, e de reavaliar nossos sistemas atuais durante o processo, facilitando mudanças e abrindo portas para ideias, produtos, serviços e sistemas outrora considerados radicais demais.
O potencial é enorme, e o momento é este. Como podemos incentivar um consumo mais consciente? Como podemos produzir com as pessoas e o planeta em mente? E como podemos lidar com o lixo de forma mais responsável?

 

 


ENTÃO O DESPERDÍCIO IMPULSIONA AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS. MAS O QUE IMPULSIONA O DESPERDÍCIO?

Para entender como chegamos aqui, temos que olhar para nosso modelo econômico atual. A economia linear é baseada na abordagem “extrair-produzir-descartar”, em que matérias-primas são coletadas, transformadas em produtos que são utilizados por pouco tempo, e em seguida descartados como lixo.

 

Extrair menos, Produzir bem, Descartar melhor

Esse padrão de extração e subsequente descarte de materiais é péssimo para o meio ambiente. Um dos motivos é que ele produz enormes quantidades de gases de efeito estufa, como carbono, metano e óxido nitroso. De fato, atualmente a extração e processamento de recursos naturais é responsável por metade de todas as emissões de gases de efeito estufa do mundo. A água e o solo também são explorados por meio desse processo, levando a taxas alarmantes de perda de habitat e biodiversidade. Nesse quesito, a produção de alimentos e plástico está entre os maiores vilões.

Por isso, quando falamos dos impactos negativos do lixo, também temos que considerar o que acontece antes de seu descarte: a extração e produção de todas as coisas que usamos e comemos. O design pode nos ajudar a vislumbrar um futuro no qual extraímos menos, produzimos bem, e descartamos de maneira melhor?

As coisas não são muito melhores longe das fábricas. Devido à grande disponibilidade de produtos com vida útil tão curta a preços tão baixos, nós continuamos comprando – e querendo – mais coisas. Enquanto isso, as infraestruturas de gestão de resíduos existentes são muitas vezes caóticas e nada transparentes. Isso é crítico, pois gestão e descarte de resíduos de forma mal feita podem causar danos à biodiversidade, direta e indiretamente, acelerando as mudanças climáticas de maneira constante.

 

 

 

RUMO A UMA ECONOMIA JUSTA E CIRCULAR

Para criar uma curva no modelo econômico atual, nosso foco deve estar no que mais importa. Precisamos ir além do modelo atual de “extrair-produzir-descartar” da economia linear e buscar alternativas mais sustentáveis e reparadoras. Isso significa que é preciso consumir de forma mais consciente, desenvolver maneiras de eliminar o lixo, e produzir produtos e materiais que regenerem sistemas naturais e que sejam mantidos em uso.

Enquanto nos concentramos em reelaborar todo o sistema em longo prazo, podemos criar um impacto imediato comprando menos coisas, produzindo produtos melhores, e reutilizando ou reciclando materiais. É por isso que estamos buscando soluções de design interessantes de variadas proporções. Ao atacar por vários ângulos, podemos avançar rumo a uma economia justa e circular para todos.